Email para recrutadora de empresa de RH.

Oi Fulano*,

O Cicrano me perguntou hoje se eu havia acertado meu curriculum pra te mandar.
Veja minha atual posição; não tenho interesse em empresas com ideologias monopolistas, e a maioria delas, de patentes proprietárias, o é, sem muitas vezes saber.
Estas empresas na maioria das vezes se mostram burocratas.
Eu não tenho graduação curricular, não tenho faculdade, e nem terminei o ensino médio, me falta ainda a 3ª série. Penso em fazê-lo este ano para fazer faculdade em 2010.
Mas é neste ponto que eu me descarto automaticamente destas empresas. A falta de graduação, pode tirar até certificações de ISO9001, eu sei. Mas quem tem certificação hoje em dia?
Devo ter um curriculum sim, e gostaria de tê-lo, mas ainda me envergonha a falta de estudo, fui imprudente e adolescente por tempo demais. Veio de berço, é pena. Mas estou em tempo de recuperar, pra isso, preciso ter openmind como alvo, pois do contrário, são apenas rotinas de testes e entrevistas frustrantes.
Explique-me melhor, se puder, pois juro que me pareço deparado com puro nazismo, hiperbolizando o termo burocracia. É ridículo no ramo de informação que vivemos hoje.
Agradeceria se esclarecesse como posso ter um curriculum diante do cenário em que vivo hoje!

*Pode ser você mesmo meu amigo. Sinta-se à vontade pra ser meu consultor de RH. Os comentários estão abertos e apenas moderados.

Anúncios

9 Responses to “Email para recrutadora de empresa de RH.”


  1. 1 Tiago Jaime Machado 21 de janeiro de 2009 às 09:27

    o mundo do emprego é uma merda, o rigor aristocrata pequeno burguês em exigir que as pessoas digam que são formadas em alguma coisa, como se isso fosse torná-las mais importantes.

    Não precisa nada disso. Amigo! Vá na papelaria e compre um currículo, não precisa muita coisa para ser pedreiro.

    Agora, para trabalhar com tecnologia e informação, o mínimo que vc tem que botar é pau na mesa e dizer:

    – sim! Eu compilo kernel no braço!
    – eu controlo 15 roteadores via sms do banheiro de casa!
    – MS SQL é meu sobrenome!
    – Criei um controlador de impressão, roteador, controlador de tráfego de rede, controlador de storage de disco externo com interface de conexão e acess point dentro de uma saboneteira.
    – não uso linux, uso BSD!

    Desta forma vc não precisa currículo, é só mostrar competência. Mas se não tem capacidade, experiência, estudo, pragmatismo, vontade e didática, melhor comprar Curriculium Vitae na papelaria e tentar uma porta de fábrica.

    Bom trabalho.

  2. 2 Eder Gobbi 21 de janeiro de 2009 às 10:31

    Não sei…
    Me sinto fixando uma soástica no peito me rendendo à isso. – “porquê não me dão emprego? Por que não sou loirinho de olhos azuis?” (embora eu seja.. :cD) – É discriminação!
    Não ter seguido a magestria, não significa que sou incapaz.
    Idealismo exagerado pra quem está desempregado?
    Não tenho intensão de entrar numa empresa pra suprir minha ausência de fonte de renda. Quero ser um profissinal respeitado em uma empresa, foi o que tentei ser no último emprego.
    Mas se eu for contratado por este método, vou “suportar” esta empresa por 6 meses até que não seja mais “sustentável” e sairei denovo.
    Não sei ser o profissional que estas empresas buscam, embora que eu talvez suprisse as necessidades técnicas delas.
    Como já disse, vou às aulas, quem sabe me ensinam a cortejar a burguesia.
    Mas até a conclusão dos cursos, sou apenas um auto-didata desempregado.

  3. 3 Fábio Ricardo 21 de janeiro de 2009 às 11:16

    Cara, vou ser seco, direto e até um pouquinho nazista.

    Primeira coisa que tens que fazer é tomar vergonha na cara e fazer uma faculdade. Tudo bem que cometesse uns erros no passado e deixou umas oportunidades passarem em branco. A hora de arrumar isso é agora. Não adianta dizer “eu sei fazer isso sem nunca precisar ter feito uma faculdade”. Por pior q seja tua faculdade, ela é aprendizado pra vida. E se você é openminded hj, o será ainda muito mais quando chegar lá pelo quarto semestre.

    Eu dou palestras em empresas, onde cobro por 2 semanas de trabalho, entre 1 a 3 horas de trabalho por dia, mais do que eu ganhava trabalhando na imprensa formal, de 6h a 8h por dia, seis dias por semana.

    E sabe qual a diferença? A imprensa formal me pede currículo. Como eu sou formado há apenas 3 anos e nao tenho pós, mestrado, nada, ganho mal.

    As empresas me pedem know how, culhões e moral. Acabei de me formar? É verdade, mas mesmo assim, eu já escrevi pra BBC. Tenho só 25 anos? É verdade, mas eu já assessorei a Fiat e a FGV.

    Então veja que é um caso complicado. Mesmo valendo muito mais a pena ter um bom PORTIFÓLIO do que um bom CURRÍCULO, na minha opinião a universidade é fundamental. O ambiente acadêmico abre muitas portas, dá muitas idéias, e te dá uma moral a mais na hora de conseguir um emprego. Seja ele openminded ou nao.

  4. 4 Eder Gobbi 21 de janeiro de 2009 às 11:32

    Sim, claro!
    É esta minha proposta…
    Mas e enquanto a graduação não vem?
    Fiquei magoado ao receber uma resposta de “curriculum ruim”.
    O “curriculum ruim”, era meu perfil exportado em PDF do Linkedin. Porquê optei por isso? Por estar claro e objetivo quanto aos meus conhecimentos, temores e desejos como profissional de T.I.
    Quer dizer, se eu não tiver uma prova de que sou capaz (o famoso canudo), eu não o sou?
    Vou mntar uma estrutura de rede pra uma empresa de outra cidade, do meio-oeste catarinense, onde segundo a empresa, não encontraram profissionais qualificados pra função! E fui indicado por algumas pessoas. Estou em Florianópolis, e vou até lá porque no meio de mais de 40 mil pessoas, não há um graduado capaz pra função! E sei que não é balela, eu viví lá por 30 anos, realmente não tem ninguém pra esta empreitada. E tem tantos graduados desempregados por lá. Só eu conheço uns 5 ou 6 formados em Ciencias de computação ou Ciencia de informação. Deram tantos nomes aos cursos, que nem sabemos mais se é informática. E a mecatrônica? Que entrou prometendo “robôs” pra galera, e ao final, só a frustração de mau-saber o que é algorítmo.
    É dessa formação que eu fugia. Vim pra Floripa buscando mercado de trabalho, mas também minha formação! Faz falta? Óbvio, não sejamos radicais e esquerdistas. Mas o que realmente revolta, é a descrença no capacitado não graduado!

  5. 5 Fábio Ricardo 21 de janeiro de 2009 às 11:51

    Se o não-graduado é capacitado (o q acredito q seja o seu caso), já tem meio caminho andado, não precisa nem se preocupar. Se vc jah eh bom sem faculdade, será ainda melhor qdo estiver formado.

    O canudo nao muda o conhecimento de ninguém. É tudo que você faz até chegar nesse canudo que faz a diferença.

    Minha sugestão é: entre na faculdade logo. Pode demorar o tempo que for para se formar, mas só o fato de vc jah ter começado, mostra o comprometimento, a busca da melhoria continua, mostra que vc nao parou no tempo (coisa muito recorrente entre autodidatas).

    Entao mesmo no primeiro semestre da faculdade, com um bom portifolio, você jah vai evitar minhas avaliações de “curriculo ruim”, pode ter certeza.

  6. 6 Eder Gobbi 22 de janeiro de 2009 às 21:24

    Pensando sobre o que o Tiago falou, eu faço tudo aquilo alí, não tão hiperbólico, mas sim, controlo servidores do celular enquanto confabulo no cubículo.

    Quer dizer!? Então não preciso de curriculum.
    Há um paradoxo oculto aqui.

  7. 7 Pedro Angones 29 de janeiro de 2009 às 12:58

    Um aspecto bastante importante está sendo esquecido. Quem contrata tem conhecimento para mensurar as capcidades técnicas do entrevistado? Precisa se apoiar em alguma coisa…

    Nem todo graduado é burro (eu sou da “cidade do meio oeste” e sei montar uma rede) e nem todo auto-didata é capaz.

    Da mesma forma que as escolas já não ensinam apenas português e matemática, ensinam temas transversais, as empresas não contratam apenas um profissional, procuram pessoas que se socializem facilmente, que tenham aptidões além do técnico.

  8. 8 Eder Gobbi 29 de janeiro de 2009 às 13:06

    Não quis em momento algum dizer que todo graduado é burro, isso seria muita burrice! 😛
    Mas o que quis dizer, é que ví o sofrimento de vários amigos lá.
    Você Pedro, sem comentários. Você tem talento nato, podia ter se formado no “Campo da Roça” em T.I. e teria sucesso da mesma forma.
    Foi que em algum momento, desleixou-se um pouco, talvez má administração. É constrangedor ver formandos sem noção de pra onde ir. Isto eu queria evitar. Agora aqui em Floripa, é outra visão.
    E não pense que trago mágoa ou rancor, pelo contrário, espero um dia fazer algo por.
    Só isso, por hora. 😉

  9. 9 Pedro Angones 29 de janeiro de 2009 às 13:14

    Na verdade não quis dizer que você entendia que todo formado é burro, o objetivo era lembrar que existem exceções à regra.

    Abaixo segue o principal objetivo no post:

    “Da mesma forma que as escolas já não ensinam apenas português e matemática, ensinam temas transversais, as empresas não contratam apenas um profissional, procuram pessoas que se socializem facilmente, que tenham aptidões além do técnico.”

    Com um enfoque mais ‘gerencial’ do que técnico talvez seu curriculo se torne mais atraente, vale a pena tentar. Outro fator importante é focar no que você já fez na área de TI, seus projetos e tal, preferencialmente com referências para contato.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Meus twitts

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

RSS Meus favoritos do Youtube

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Meus favoritos


%d blogueiros gostam disto: